“Minari: Em Busca Da Felicidade”: a incrível história real por trás do filme

Novidade do Prime Video, o filme “Minari: Em Busca Da Felicidade” (2021), indicado a seis Oscars, foi muito elogiado por sua delicadeza e sensibilidade ao retratar a vida de uma família coreano-americana nos anos 80. O realismo não é de se surpreender, já que a trama é uma semi-autobiografia do diretor e roteirista Lee Isaac Chung (“Abigail Harm”). 

Lee Isaac Chung Minari
Foto: reprodução/Rolling Stone

Segundo o Decider, o filme é baseado nas memórias de infância do diretor de quando seu pai decidiu se mudar com a família para o Arkansas, para perseguir o sonho dele de ser fazendeiro.

“A maioria das coisas no filme são baseadas em algo [da vida real]”, comentou Chung em um painel de discussão virtual. Um exemplo é o personagem de Will Patton (“O Silo”), que foi baseado em um conhecido da família do cineasta que carregava uma cruz por aí. Um acidente envolvendo a avó da família também realmente aconteceu na vida real.

Em um texto para o Los Angeles Times, o diretor contou que escreveu 80 memórias de sua vida e depois começou a criar a narrativa do longa com temas sobre “família, fracasso e renascimento”. Durante as coletivas de imprensa de “Minari”, Chung destacou que o filme não é uma representação factual da sua infância, mas existem semelhanças e um forte significado pessoal.

“Minari: Em Busca da Felicidade”

A trama acompanha uma família coreano-americana nos anos 80 que se muda para o interior do Arkansas após o pai comprar uma fazenda. A mãe da família tem dificuldades de lidar com a mudança. A avó vem da Coreia do Sul para ajudar com as crianças.

O elenco conta com Steve Yeun (“The Walking Dead”), Yeri Han (“Desgraça ao Seu Dispor”), Alam Kim (“Theater Camp”), entre outros. Mas o destaque é Youn Yuh-jung (“A Empregada”), que interpreta a avó da família. A atriz venceu o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante pelo papel, sendo apenas a segunda mulher asiática da história a vencer um Oscar de atuação. A primeira tinha sido há mais de 60 anos: Miyoshi Umeki, por “Sayonara” (1957).

O longa ainda levou indicações em mais cinco categorias, incluindo Melhor Filme e Melhor Direção.

Continue acompanhando o Música e Cinema para ficar por dentro do mundo do entretenimento.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.