Cinemas sofrem durante a crise – Streaming ganha força

Em tempos de Auxílio Emergencial e pandemia, os cinemas estão sofrendo. Não poderia deixar de ser, já que esse ambiente é um dos que deve voltar somente quando uma vacina for criada. Aquele passeio com os amigos ou com o namorada (o) é algo que ficou no passado, considerando esse novo normal. Infelizmente precisamos nos adaptar a essa realidade.

Muitas pessoas inclusive estão fazendo uma boa economia neste sentido, ainda mais aquelas que todos os fins de semana frequentavam as salas de cinema. Além dos ingressos, pipoca e refrigerante não podiam faltar. Hoje isso mudou, quem domina são os streamings, inclusive com diversos lançamentos nestas plataformas.

Ainda assim, como é que a indústria cinematográfica vai sobreviver a pandemia? Muitos filmes que seriam lançados em 2020 podem ficar para 2021 ou quem sabe 2022. O filme solo da Viúva Negra, Mulher Maravilha 1984 e Velozes e Furiosos 9 são alguns do que não devem sair neste ano.

Ambientes fechados são os que mais sofrem

Na pandemia da Covid-19, os ambientes fechados são os que mais sofrem. Por mais que os restaurantes e os bares estejam abertos, com o famoso distanciamento social, fazer isso no cinema é bem mais difícil. Por isso, as salas estão fechadas em todo o Brasil e mundo afora.

Para tentar contornar essa condição, as salas que estão abertas, algumas nos Estados Unidos, passaram a relançar clássicos que geraram milhões durante a exibição original. Além disso, o cinema drive-in é outro que voltou a ganhar popularidade. Você até pode pensar que é algo novo, mas existe pelo menos desde 1973 no Brasil.

Aliás, o Cine Drive-in estreou em nosso país logo na capital federal, e continua em atividade até hoje lá em Brasília. Contudo, é uma modalidade ainda mais antiga, criada nos Estados Unidos, por Richard M. Hollingshead Jr, em 1932. Neste caso, as pessoas pagam um ingresso e assistem a um filme dentro de seus carros.

Em alguns casos, os motoristas podem usar o pisca alerta ou dar algum sinal com os faróis para indicar que desejam algo. Dessa forma, os atendentes do cinema vão até lá com pipoca ou refrigerante, conforme o solicitado.

No Brasil, entidades cobraram por apoio a cultura. O Governo lançou programas como o auxílio emergencial e o Renda Brasil, chamado de novo programa Bolsa Família. No entanto, essas medidas não tiveram como foco os trabalhadores e empreendedores da cultura.

Cinemas tradicionais seguem fechados

Pelo menos no Brasil, as salas de cinema continuam fechadas, mas algumas empresas estão buscando alternativas para superar essa condição. Uma delas é o Cine Belas Artes, que vem disponibilizando streaming à lá carte.

Dessa forma, os cinéfilos podem aproveitar um catálogo repleto de filmes cults, clássicos e recentes. É uma forma de manter a renda da empresa, embora bastante reduzida devido a Covid-19.

Alguém resiste a pipoca do cinema? O Cinemark acha que não e neste momento de crise econômica passou a disponibilizar o petisco por meio dos aplicativos de delivery. Então, você pode assistir um filme pela Netflix saboreando a verdadeira pipoca do cinema.

Testes em busca de uma vacina para o Coronavírus continuam sendo feitos. Ainda assim, os cinemas terão que buscar soluções cada vez mais criativas para superar essa condição.

Sobre Leonardo Caprara

Fundador do Música e Cinema, em 2012. Jornalista e empreendedor, busca levar o melhor conteúdo para os leitores. Contato: [email protected]

Veja Também!

Vagas na área de Música e Cinema – Mercado de trabalho sofre

A área de emprego artística e musical pode exigir muitos conhecimentos práticos, teóricos e didáticos, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *