Entrevista exclusiva com a banda Slippery

O Música e Cinema pode conduzir com exclusividade uma entrevista com a grande banda de hard rock e heavy metal Slippery, que respondeu diretamente de Campinas (SP) através de seu vocalista Fabiano Drudi, que pode nos falar sobre como surgiu a banda, mercado musical brasileiro e tudo mais que circunda uma banda do cenário underground nacional.

Banda Slippery

Formada em 2004 na cidade de Campinas/SP, o SLIPPERY segue na contramão dessa tendência do rock pós-moderno com um trabalho que, assumidamente, não tem a menor pretensão de criar, recriar ou inovar qualquer coisa. Tudo o que querem é se divertir fazendo o som que mais gostam de ouvir e tocar: o hard/heavy característico da década de 80. 
Slippery 
Fabiano Drudi (vocal), Dragão (guitarra), Kiko Shred (guitarra), Érico Moraes (baixo) e Rod Rodriguez (bateria) não têm medo de serem tachados como datados ou saudosistas e resgatam a mesma sonoridade que projetou ao mundo nomes como Def Leppard, Mötley Crüe, Dokken, Bon Jovi e Ratt. (Retirado do site oficial da banda)

Entrevista com Fabiano Drudi

Na entrevista, Fabiano falou sobre diversos assuntos, incluindo o momento da cena do rock no Brasil e sobre o festival Rock in Rio.
Leonardo Caprara: Como você vê a cena do rock atual, principalmente aqui no Brasil, para quem tenta fazer um trabalho independente e começar uma banda de rock?
Fabiano Drudi: Nunca foi tão fácil o rock no Brasil e eu percebo assim, que hoje em dia está um pouco pior do que já foi, as bandas não tem tanto espaço para mostrar o trabalho, tem algumas mídias que dão o espaço, mas é muito pouco perto do que poderia ser, então é complicado porque não tem tantos lugares para a gente tocar, falo a gente, mas dizendo o rock em geral, para bandas autorais, como a gente e que é independente, que não tem  nenhuma gravadora, um selo por trás, a gente trabalha por conta, independente, então para bandas como nós fica complicado.
Leonardo Caprara: O Brasil atualmente está agitado com o festival Rock in Rio, que teoricamente teria que ser de rock, o que você acha da infestação de outros gêneros?
Fabiano Drudi: Olha, eu acho que só o nome rock in rio que não cai bem pro festival, porque não é mais um festival de rock, é um festival de música em geral, uma marca, então é usado o nome rock in rio, mas não tem nada a ver, lógico, tem as bandas de rock, por ser um festival de música, mas acho que não deveria ser mais o nome assim, porque o que acho que tem menos lá é o rock, não concordo tanto com isso, é mais uma marca e enquanto tiver público vai continuar assim.
Entrevista completa abaixo.

Sobre Leonardo Caprara

Idealizador e fundador do site, tem profunda paixão pela música e pelo cinema, desbravando os mais diferentes sub-gêneros dentro destes dois maravilhosos nichos e procurando levar o melhor conteúdo para os fiéis leitores do Música e Cinema!

Veja Também!

Danilo Gentili, Carlos Villagrán e Fabrícrio Bittar

Filme: Danilo Gentili fala sobre produção, Carlos Villagrán e trilha sonora

Lançado em 2009, o livro “Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola” ganhará sua …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *