Uganga prepara primeiro DVD e celebra 20 anos de banda

Celebrando 20 anos, lançando primeiro DVD e preparando material inédito. Manu Joker falou sobre o começo de ano produtivo do Uganga.

Uma das bandas mais autênticas da cena independente brasileira, o Uganga está preparando o lançamento do seu primeiro DVD. Neste ano, o grupo completa 20 anos de estrada e traz na bagagem turnês por diversos locais históricos, como cultuados pubs europeus.

O último disco do grupo, o Opressor, lançado em 2015, rendeu uma extensa turnê. O DVD, Manifesto Cerrado, pega parte do setlist desta tour, porém traz canções de diferentes épocas do grupo, incluindo algumas que estão na lista de possíveis regravações.

A gravação da música Couro Cru já foi divulgada e mostrou o cenário intimista que foi criado. O DVD será lançado este mês e conversamos com o vocalista Manu “Joker” Henriques sobre esse trabalho e os 20 anos do Uganga.

Foto Uganga_1São 20 anos de Uganga. Essas datas geralmente vêm acompanhadas de perguntas sobre avaliações da trajetória. Esse é um momento de reforçar os alicerces da banda, fazendo uma avaliação de tudo e saindo mais fortes?

Manu “Joker” Henriques – Definitivamente estamos mais fortes, foram anos incríveis com provações, conquistas, desafios, superações e tudo o mais. Creio que o DVD “Manifesto Cerrado” mostrará muito bem essa trajetória.

O material liberado do DVD mostra a música “Couro Cru”, uma das mais antigas, tendo novamente a participação do O Eremita. Como que funcionou essa escolha do setlist? Com a melhoria da estrutura da banda, vocês tem o desejo de regravar (ao vivo e em estúdio) canções dos primeiros anos e discos?

Manu – O Eremita é um parceiro que está sempre fazendo algo com a banda, faz parte da família Uganga e detonou nesse som como sempre faz. Quanto ao setlist, focamos mais no material do “Opressor”, que foi um álbum muito importante pra banda, mas incluímos “Sua Lei Minha Lei” do “Vol. 03 Caos Carma Conceito” e “Couro Cru” que originalmente foi gravada no nosso primeiro cd, “Atitude Lótus”. Creio que seguiremos regravando material mais antigo em trabalhos futuros, ontem mesmo falamos sobre a possibilidade de fazer isso com “Loco (Fim De Tarde)”, do “Na Trilha Do Homem De Bem”. Tudo é possível, mas o que nos motiva mais com certeza é o material novo. Olhamos pra frente, mas valorizamos o passado.

Esse formato de show, em círculo, com amigos e familiares, além de toda a história do local de gravação, a estação ferroviária Stevenson, faz desse um show mais intimista? O material de vocês geralmente tem uma ligação histórica, podemos até destacar as gravações na Europa, esse show na estação ferroviária. Esses ambientes trazem inspirações pra vocês? Vocês conseguem absorver toda essa história que os locais carregam por si só?

Manu – Sim, é um momento mais intimista, bem diferente de um show onde todo mundo se mata de agitar na frente do palco, algo que a gente também adora (risos). Nessa apresentação tanto a configuração de palco quanto a interação com a plateia se deu em uma esfera diferente. A energia foi 100% canalizada nas músicas e nossos convidados nos ajudaram a fortalecer ainda mais essa energia. Quanto aos ambientes, é sempre inspirador estar num local carregado de história, fazer música nesses locais então é ainda mais incrível.

Precisar a data de início de uma banda é difícil. Alguns consideram o primeiro ensaio, outros a primeira música ou até mesmo o primeiro disco, mas de qualquer forma, são mais de 20 anos de Uganga. Por que um primeiro DVD só agora?

Manu – Porque é o momento certo. A banda é madura o suficiente para isso e tem o que celebrar, tem o que olhar pra trás. A gente fala de um DVD desde 2006, mas quis o tempo que ele ganhasse vida dez anos depois.

O Opressor é o disco mais recente e também um dos trabalhos mais maduros da banda. Como foi encaixar esse novo trabalho com os discos antigos no setlist do DVD? Vocês já trabalham em novos materiais inéditos?

Manu – “Opressor” foi um disco muito importante pro Uganga, nos abriu muitas portas e nos levou onde não havíamos ido. É realmente um álbum muito forte e como estávamos em plena tour de promoção na época do DVD, optamos por ter mais material dele, assim como no “Eurocaos – Ao Vivo” focamos mais no material do “Vol. 03”. Acho que nosso próximo trabalho ao vivo será um passeio pro todos nossos discos, mas não faço ideia de quando sairá. Por hora estamos 100% focados no nosso próximo trabalho de estúdio, que começaremos a gravar em Abril.

Confira o teaser do DVD e o disco Opressor na íntegra!

Sobre Leonardo Caprara

Idealizador e fundador do site, tem profunda paixão pela música e pelo cinema, desbravando os mais diferentes sub-gêneros dentro destes dois maravilhosos nichos e procurando levar o melhor conteúdo para os fiéis leitores do Música e Cinema!

Veja Também!

Sheena Ye lança primeiro disco e mostra potência sonora do trio

Formada em 2013, a banda Sheena Ye lançou seu primeiro álbum em 2017. “Seu Tempo …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *