Bumblefoot fala sobre novo álbum, Art of Anarchy e Brasil!

O Música e Cinema novamente teve a oportunidade de conversar com um dos maiores guitarrista do mundo, o mestre da fretless, Ron “Bumblefoot” Thal, que está em processo de lançamento do álbum “Little Brother Is Watching”, que chega com grande expectativa após maravilhosos trabalhos como “Normal”, “Abnormal” e o acústico “Barefoot”.

Ron é um dos músicos mais carismáticos que já passaram pelo Brasil. Em tour com o Guns N’ Roses (2014) o músico atendeu o Música e Cinema, quando tivemos a oportunidade de trazer com exclusividade os CDs solos de Bumblefoot para o mercado nacional.

Agora Ron chega com muitos trabalhos, tendo além de “Little Brother Is Watching”, o projeto paralelo com a banda “Art Of Anarchy”.

Nossos agradecimentos ao parceiro Bumblefoot. Confira nossa divertida conversa!

Entrevista com Bumblefoot

Leonardo Caprara: Você está em fase de lançamento do álbum Little Brother Is Watching, após maravilhosos trabalhos como Normal, Abnormal e Barefoot. Como você se sente nesta volta aos estúdios e quais são as maiores inspirações para este novo trabalho solo? Qual o sentido conceitual dele?

Bumblefoot: Por ser criativo novamente parece que estou respirando ar puro de novo. É o que eu preciso para me sentir vivo, eu preciso escrever, gravar, produzir, ser criativo. Eu não poderia estar mais feliz! Esse será um ano muito musical. Inspirações vem de viver a vida e ter histórias para contar. Não é um álbum conceitual, mais de uma coleção de histórias pessoais que eu espero que as pessoas se relacionem e se conectem.

Little Brother Is Watching
Leonardo Caprara: A sua produção foi quase inteiramente solo, contando ainda com Dennis Leeflang na percussão. Fazer um trabalho deste tipo, em que a produção conceitual é inteiramente sua, gera uma responsabilidade maior? A carga de trabalho não fica até certo ponto exaustiva?

Bumblefoot: Eu começo a partilhar plenamente cada parte de mim. Não apenas tocar guitarra, mas tudo que eu posso eventualmente dar de mim mesmo – composição, canto, baixo, violoncelo, todos os sons e como arranjá-los. Se eu não fizer tudo isso no meu próprio álbum, eu não estaria realmente dando tudo o que eu posso dar, e eu quero dedicar tudo que for possível. Quando estou tocando em uma banda, fico feliz de tocar guitarra e todos fazerem o que fazem, mas para o meu próprio álbum, eu sinto apenas que é o meu direito dar cada parte possível de mim mesmo…


Leonardo Caprara: Você não se isolou durante a produção, publicando vídeos e mensagens para os fãs, que puderam acompanhar de perto o seu trabalho. Tendo esse contato direto e constante com os fãs durante uma produção, fica mais fácil saber o rumo certo a seguir?

Bumblefoot: Eu amo compartilhar todo o processo de fazer um álbum, não apenas o resultado final. Eu gosto de incluir as pessoas e mostrar-lhes como os sons são feitos. Eu não sei se existe um caminho certo a seguir, você apenas tem que seguir “seu curso” e fazer o que se acha autêntico.


Leonardo Caprara: Você sempre foi conhecido também pelo uso da guitarra fretless, mostrou inclusive um vídeo de um solo de Little Brother Is Watching. Neste albúm seguirá usando bastante desta ferramenta? O que você vê de mais interessante com o uso da fretless?

Bumblefoot: A guitarra fretless é como falar uma segunda língua. É como um slide em cada ponta dos dedos, você pode fazer coisas que não poderia com uma guitarra trasteada e isso se tornou uma grande parte do que eu faço…

Leonardo Caprara: Já ficou claro que o projeto Art of Anarchy é paralelo, mas em algum momento você pensa em fazer um tour? Isso depende do resultado comercial do som?

Bumblefoot: Com certeza quero fazer uma turnê, mas não vou apressá-la. Quero que as pessoas se familiarizem com a música primeiro e depois ver que tipo de turnê será melhor…

Art of Anarchy: Scott Weiland (vocals) Bumblefoot (guitar) John Moyer (bass) Jon Votta (guitar) Vince Votta (drums)
Art of Anarchy: Scott Weiland (vocals) Bumblefoot (guitar) John Moyer (bass) Jon Votta (guitar) Vince Votta (drums)


Leonardo Caprara: O público brasileiro sente muito sua falta, pois sempre que você passou por aqui deu exemplo de como um artista deve tratar os fãs. Nos revele o que você sente falta de nosso país.

Bumblefoot: Saudades de todos vocês também! E tem tanta coisa que eu ainda não vi. Eu adoraria passar mais tempo, ver mais de todo o país e COMER COMER COMER COMER COMER COMER COMER COMER! Haha pão de queijo será a minha morte haha…

Leonardo Caprara: Muito legal falar com você novamente Ron, foi um grande prazer. Deixe um recado para nossos leitores e seus fãs.

Bumblefoot: Muito obrigado pela sua gentileza, sua paixão e por serem parte da minha vida!  Espero ver todos vocês assim que eu puder.

Jornalista: Leonardo Caprara
Tradutor: Claudio Feitosa

bumblefoot

Interview with Bumblefoot – English version

Leonardo Caprara: You are in the launch phase of the album Little Brother Is Watching, after wonderful works like Normal, Abnormal and Barefoot. How do you feel in this back on the studios and what are the biggest inspirations for this new solo album? What is the conceptual sense of it?

Bumblefoot: To be creative again feels like I’m breathing fresh air again. It’s what I need to feel alive, I need to write, record, produce, be creative. I couldn’t be happier! It will be a very musical year 🙂 Inspirations came from living life, and having stories to tell. It’s not a concept album, more of a collection of personal stories, that I hope people will relate to and connect to. 🙂

Leonardo Caprara: Your production was almost entirely solo, with Dennis Leeflang on percussion. Do a work like this, in which the conceptual production is entirely yours, gives a greater responsibility? The workload is not exhaustive at some point? Also, tell us how you could reconcile that with long tours.

Bumblefoot: I get to fully completely share every part of myself. Not just guitar playing, but everything I can possibly give of myself – songwriting, singing, bass, cello, all sounds and how to present them. If I didn’t do all of this on my own album, I wouldn’t be truly giving everything I can give, and I want to give *everything* possible 🙂 When playing in a band, I’m happy to play guitar and everyone does what they do, but for my own album I feel it’s only right to give every possible piece of myself… 🙂

Leonardo Caprara: You won’t isolate yourself during the production, publishing videos and messages to your fans, who could closely follow the work. Having this direct and constant contact with fans during a production, it is easier to know the right course to follow?

Bumblefoot: I love sharing the entire process of making an album, not just the final result. I like to include people and show them how sounds are made. I don’t know if there is a right course to follow, you just have to follow ‘your course’ and do what feels authentic. 🙂

Leonardo Caprara: You’ve always been also known by the use of fretless guitar, even showed a video of a Little Brother Is Watching solo. In this album you’ll continue using quite of this tool? What you think it’s more interesting using the fretless?

Bumblefoot: The fretless is like speaking a second language. It’s like a slide on every fingertip, you can do things you can’t with a fretted guitar, and it’s become a bigger part of what I do………

Leonardo Caprara: It was already clear that the project Art of Anarchy is parallel, but at some point you think about do a tour? This depends on the songs business results?

Bumblefoot: I absolutely want to tour, but will not rush into it. I want people to get familiar with the music first, and then see what kind of touring will be best….

Leonardo Caprara: The Brazilian public miss you so much, because always when you came by here, you gave example of how an artist should treat the fans. What do you think about the country? Besides the Mutantes (Bat Macumba) you hear something else from here? It would be a place where you stay in your “vacation”?

Bumblefoot: I miss you all too! And there is still so much I haven’t seen. I would love to spend more time and see more of the whole country 🙂 And EAT EAT EAT EAT EAT EAT EAT…! Haha… pao de queijo will be the death of me, haha…

Leonardo Caprara: Finally, my friend, leave a message to your fans who will soon be listening to this wonderful work:

Bumblefoot: Thank you so much for your kindness, your passion, and for being part of my life 🙂 Hope to see you all as soon as I can. 🙂

Sobre Leonardo Caprara

Idealizador e fundador do site, tem profunda paixão pela música e pelo cinema, desbravando os mais diferentes sub-gêneros dentro destes dois maravilhosos nichos e procurando levar o melhor conteúdo para os fiéis leitores do Música e Cinema!

Veja Também!

metallica

Metallica: revigorado e ainda relevante

Existem bandas que, ao anunciarem seus próximos lançamentos, promovem um verdadeiro fenômeno de histeria coletiva, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *