The Housemartins: Build, Clipe e história da música

Build é uma música anos 80 interpretada pela banda The Housemartins.

HISTÓRIA DA MUSICA BUILD

Build é uma canção da extinta banda de Indie Rock Inglesa The Housemartins lançada em 1987, no álbum The People Who Grinned Themselves to Death. Teve sucesso no Brasil em meados de 1988 e ficou conhecida como Melô do papel, devido ao seu refrão ba-ba-ba-ba-build, pois a pronúncia das palavras ba e build juntas soa semelhante à da palavra papel.

SOBRE THE HOUSEMARTINS

The Housemartins foi uma banda inglesa de Indie rock formada em 1983 na cidade inglesa de Hull. Tornando-se mundialmente conhecido pelos os hits, “Caravan of Love” e “Build”.

FORMAÇÃO: 1983-87

Formada originalmente em 1983, pelo guitarrista e vocalista Paul Heaton, pelo guitarrista Stan Cullimore, além do baixista Ted Key e o baterista Hugh Whitaker, se autodenominaram ironicamente como a “quarta melhor banda de Hull”. Apesar da brincadeira e modéstia, foram verdadeiros mestres em compor grandes canções. No ano seguinte entraria Norman Cook no lugar de Ted. Pausa para mais um ano de trabalho duro. Assinam com a independente Go! Discs Records (a mesma gravadora de Billy Bragg) e meses depois conseguem um sucesso nas paradas com o terceiro single, “Happy Hour”. Intitulada originalmente “French England”, a canção chegou a ser número 3 na parada britânica, fazendo com que o disco de estréia, London 0 Hull 4 alcançasse a mesma posição.

Começava a comparação com o grupo de Morrissey & Marr, com quem chegaram a excursionar, como banda de abertura. Embora houvesse semelhanças nos vocais e até nas guitarras acústicas, a proposta do Housemartins era muito mais acessível, tendo como característica notável, os arranjos a cappella, ou seja, harmonizações vocais, sem instrumentos. Um dos grandes momentos do primeiro disco é uma versão arrepiante do clássico de Curtis Mayfield, “People Get Ready” (incluido apenas na versão CD). E foi exatamente uma versão neste estilo que deu o primeiro e único número 1 nas paradas: “Caravan of Love”, dos compositores Ernie Isley, Chris Jasper e Marvin Isley.

Apesar de não ter escrito nenhum grande sucesso do grupo (a dupla de compositores mais consistente era Cullimore e Heaton), Norman Cook era o grande arranjador, tocando piano e chamando alguns músicos extras para as sessões de gravações. O disco vendeu a respeitável marca de 500 mil cópias na Inglaterra e o mesmo número no resto do mundo.

O FIM DA BANDA: 1988

Mas os problemas já existiam. Paul havia feito “Me and the farmer” inspirado nas lutas das classes operárias. Para o segundo disco, ele preferia dar mais ênfase aos arranjos vocais, enquanto Norman queria trabalhar um pouco mais a parte experimental, testando loops e sequenciadores nos arranjos e Stan desejava colocar mais camadas de guitarras. Paul começou a tomar atitudes dignas de um ditador, chegando ao cúmulo de editar sílabas de diferentes takes para compor uma canção, digitalmente. Simplesmente ignorava as ideias de seus companheiros, sendo o ápice da discórdia durante as gravações do vídeo para Build. A única opção comum era que a banda estava se esgotando. Ironicamente escreveram na parede do estúdio “Housemartins R. I. P.” (Housemartins, descansem em paz).

Para irritar ainda mais os outros integrantes, Paul disse em uma carta ao semanário New Musical Express, que “em uma época liderada por Rick Astley, Shakin’ Stevens e Pet Shop Boys, eles (os Housemartins) não eram bons o suficiente”. Após isso, o fim era a única saída. Os músicos se separaram, sendo Norman Cook o que obteve maior sucesso, com seu projeto Fatboy Slim. Como despedida, editaram uma coletânea de compactos, Now That’s What I Call Quite Good em 1988.

Em agosto de 2009, a revista de música, MOJO, mostrou os membros originais The Housemartins numa reunião para uma sessão fotográfica e entrevista pela primeira vez em muitos anos. No entanto, na entrevista a todos os membros sustentou que a banda não seria reformada.

Em dezembro de 2009, Stan Cullimore co-escreveu canções para uma série de músicas pré-escolar chamado The Bopps que apareciam de Nick Jr. no Reino Unido em abril de 2010.

NO BRASIL

Em 1988, o Brasil foi atacado por uma música chamada “Build”, que ficou conhecida como “Melô do Papel”, chegando a ser comercializada com esse nome em algumas coletâneas brasileiras consideradas por muitos de péssimo gosto.

Uma grande injustiça com os Housemartins: apesar da melodia pop e com um lindo arranjo vocal, trazia uma letra amarga, que o público não entendia por ser cantada em inglês. Mas injustiças parecem sempre terem marcado esse simpático grupo da pequena Hull. No começo foram taxados de mera cópias dos Smiths. Até havia uma certa similaridade nos vocais, mas as duas bandas seguiram caminhos diferentes.

Após dois discos brilhantes – London 0 Hull 4 e The People Who Grinned Themselves To Death (que foi lançado no Brasil e trazia “Build”), desmancharam, mas não antes de deixarem um grande legado: a coletânea de compactos e de out-takes chamadas Now That’s What I Call Quite Good. Fonte: (Wikipédia).

build The housemartins

Letra original Build

Vamos aprender a cantar em inglês Build?

Build

Clambering men in big bad boots

Dug up my den, dug up my roots

Treated us like plasticine town

They built us up and knocked us down

From Meccano to Legoland

Here they come with a brick in their hand

Men with heads filled up with sand

It’s build

It’s build a house where we can stay

Add a new bit everyday

It’s build a road for us to cross

Build us lots and lots and lots and lots and lots

Whistling men in yellow vans

They came and drew us diagrams

Showed us how it all worked it out

And wrote it down in case of doubt

Slow, slow, quick, quick, quick

It’s wall to wall and brick to brick

They work so fast it makes you sick

It’s build

It’s build a house where we can stay

Add a new bit everyday

It’s build a road for us to cross

Build us lots and lots and lots and lots and lots

It’s build

Down with sticks and up with bricks

In with boots and up with roots

It’s in with suits and new recruits

It’s build

Letra traduzida de Build

Vamos entender o que está sendo cantado em Build?

Construir

Escaladores em grandes botas ruins

Desenterraram o meu recanto, desenterraram as minhas raízes

Trataram-nos como uma cidade de massa de modelar

Eles nos reconstruíram e nos derrubaram

De mecanno a legolândia

Eles vêm com um tijolo em suas mãos

Homens com a cabeça cheia de areia

Isto é construir

É construir uma casa onde nós possamos ficar

Colocar um novo pedacinho a cada dia

É construir uma estrada para que nós cruzemos

Construa muitas e muitas e muitas e muitas e muitas

Homens assobiando em camionetes amarelas

Eles vieram e nos desenharam diagramas

Mostrando-nos como tudo funcionava

E anotaram para o caso de dúvida

Lento, lento, rápido, rápido, rápido

É parede por parede e tijolo por tijolo

Trabalham tão rápido que isto te deixa doente

Isto é construir

É construir uma casa onde nós possamos ficar

Colocar um novo pedacinho a cada dia

É construir uma estrada para que nós cruzemos

Construa muitas e muitas e muitas e muitas e muitas

Isto é construir

Para baixo com os bastões, acima com os tijolos

Entrem com carregadores, subam com as raízes

Estão dentro com ternos e novos recrutas

Isto é construir

Crédito tradução: letras.mus.br

CLIPE DE BUILD

Confira o clipe de Build com The Housemartins e não esqueçam de deixar seu comentário.

Sobre Leonardo Caprara

Veja Também!

Capa do novo álbum "The American Dream Died"

Agnostic Front: a morte do sonho americano

Existem bandas que já nascem clássicas. Desde sua origem já possuem “certificado de garantia” e, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *