Tankard: Thrash Metal alcoólico

A Alemanha sempre foi um terreno fértil para a grande maioria dos subgêneros do Metal. De lá temos nomes que representam o Hard Rock (Scorpions), Heavy Metal melódico (Gamma Ray, Helloween, entre outros), Metal moderno eletrônico (Rammstein), entre outros estilos, mas é no Thrash Metal que está a graça toda. A cena composta por verdadeiros baluartes do estilo, tais como Destruction, Sodom e Kreator, certamente é das mais importantes e admiradas de todos os tempos, mas se tem uma banda que representa o estilo com o coração e com integridade mesmo, essa banda é o Tankard.

            Fundada em 83 e resistindo a toda sorte de percalços (desde a mudança de formações até os modismos nefastos), os quatro companheiros de bar estão aí para colocar mais lenha na fogueira do Thrash, sempre contagiados por aquele humor cáustico que permeia sua carreira desde os primórdios. Tecendo verdadeira ode ao álcool, principalmente à cerveja, eis que voltam à cena com seu mais recente trabalho, com o sensacional título de Rest in Beer. Com ele, provam que são fiéis ao estilo que os consagrou, tendo a certeza de que não decepcionarão seus fãs.

            Com exclusividade aqui no Música e Cinema, você confere agora a resenha do mais recente investimento dos ébrios alemães. Thrash da mais alta graduação alcoólica!  

            Tankard: Rest in Beer (resenha)

Tankard-RIB-Cover

A banda mais relevante do Thrash germânico (pra mim é, qual é o problema?) ataca novamente. Os pinguços do Metal são como o vinho: melhoram com o tempo, e a prova cabal disso tudo que estou falando é esse Rest in Beer. O quarteto de Frankfurt mostra, em seu décimo sexto full lenght, que o humor continua ácido e afiado, prestando um tributo ao álcool e todos os seus malefícios (no caso deles, benefícios), entre outros assuntos bastante pertinentes que casam perfeitamente com o Thrash praticado pelo grupo.

            Gerre (vocal), Andy (guitarra), Frank (baixo) e Olaf (bateria) apresentam dessa vez dez faixas do mais puro Thrash Metal impiedoso, veloz e energético. A aniquilação tem início com War Cry, que mescla riffs rápidos com momentos mais tranqüilos, com Andy apresentando um desempenho fenomenal nos acordes e nos solos, com Frank e Olaf segurando a bronca ao fundo com extrema competência. Seguimos com Fooled by Your Guts, onde a banda mostra segurança no terreno que mais domina. Rápida, pesada e com refrão que martela no ouvido sem parar; a faixa título se mostra a mais cadenciada, com início bem melódico, andamento mais trabalhado e um coral em algumas passagens, que a princípio gera estranheza, mas Gerre chega pra colocar as coisas em seus devidos lugares, com um desempenho vocal impressionante; Riders of the Doom mantém a pegada, com andamento seguro e um belo solo do Andy. Hope Can’t Die tem uma estrutura mais lenta, mas não menos impactante. Excelente canção! Outros destaques do play vão para Breakfast for Champions e Enemy of Order (tente segurar o banging nessa. Explosiva!). O Tankard nunca foi a mais técnica das formações do Thrash alemão, e nunca tiveram essa pretensão, mas nesse disco eles apresentam um desempenho excepcional, principalmente Andy, com um trabalho de guitarras muito competente, e Gerre, com seu vocal característico, porém com algumas inserções melódicas que ressaltam ainda mais o andamento das composições.

Tankard: Frank (baixo), Andy (guitarra), Olaf (bateria) e Gerre (vocal)
Tankard: Frank (baixo), Andy (guitarra), Olaf (bateria) e Gerre (vocal)

            O projeto artístico também é motivo de destaque, pois apresenta uma caricatura de um cientista trajando um colete de bombas “space beer” prestes a ser detonado. Lembra bem aquele cientista doido que ilustra a capa do Chemical Invasion. A banda sempre primou pelo bom humor para ilustrar suas capas e sempre fez isso muito bem, e essa arte tem tudo para ser uma das melhores da carreira do grupo.

            Com trinta anos de carreira nas costas, uma discografia prolífica repleta de clássicos atemporais do Metal, e uma formação consolidada, o Tankard continua firme e forte na cena, honrando a excelência do Thrash alemão e firmando seu legado. Abra uma cerveja, pegue seu amendoim, aperte o play e prepare-se para a destruição.

Nota: 9,0

 

Faixas:

  1. War Cry
  2. Fooled by Your Guts
  3. R.I.B. (Rest in Beer)
  4. Riders of the Doom
  5. Hope Can’t Die
  6. No One Hit Wonder
  7. Breakfast for Champions
  8. Enemy of Order
  9. Clockwise to Deadline
  10. The Party Ain’t Over ‘Til We Say So

 

Formação:

  • Frank Thorwarth (baixo)
  • Gerre Geremia (vocal)
  • Olaf Zissel (bateria)
  • Andy Gutjahr (guitarra)

Contatos:

http://www.tankard.info/start.html

https://myspace.com/tankard

https://www.facebook.com/tankardofficial?fref=ts

 [youtuber youtube=’http://www.youtube.com/watch?v=NK6c58ZkJBo’]

                       

Sobre Ricardo Costa

Casado, 42 anos, médico veterinário. É fã de música desde a adolescência, principalmente dos subgêneros mais extremos do Metal. É fã também incondicional de cinema, principalmente de horror e ação. Seu principal hobby é pesquisar e conhecer bandas novas e filmes obscuros. Trará sempre novidades acerca de lançamentos, bem como artigos, matérias e entrevistas muito interessantes para os nossos leitores

Veja Também!

bomba

Vídeo: Show do Rammstein com “homem bomba” gera polêmica com muçulmanos

Participando do Rock in Vienna, na capital austríaca, a banda Rammstein utilizou sua famosa pirotecnia …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *