Snuff Movies – Os filmes que matam!

O Snuff é um dos sub-gêneros mais polêmicos do terror, já tendo chocado multidões, causado prisões e constantemente surpreende a todos com o seu extremo realismo. Seria uma sórdida e brutal realidade, ou apenas lenda urbana? Não se sabe ao certo. No artigo a seguir veremos um pouco mais a respeito do subgênero mais controverso da sétima arte.

Snuff Movies: conheça o sub-gênero

Bom dia, caros amigos! Muitos de vocês que, assim como eu, são fãs do cinema de horror, mais  especificamente do horror gore, já devem ter ouvido falar de um subgênero muito obscuro chamado snuff . Pois bem, meus queridos, o que vem a ser esse tal de snuff?

Reza a lenda que este tipo de filme consiste em filmagens bastante precárias, geralmente com forte apelo sexual, onde o ator ou atores são torturados e mortos de verdade diante das câmeras, tudo ao vivo e em cores!

Não, você não leu errado; é exatamente isso. Afirmam também que existe uma clientela muito “seleta” pra este tipo de filme, geralmente milionários excêntricos, pervertidos e psicopatas, que se disponibilizam a pagar alguns milhares de dólares pra ter seus momentos de prazer e sadismo no conforto de seus lares.

Holocausto Canibal
Cena do ícone Holocausto Canibal

Eu, particularmente, tenho um calafrio na espinha dorsal só de imaginar que possa existir pessoas que praticam isso e que se submetem a isto. Se bem que num mundo onde em plena luz do dia, telejornais às 18:00 horas da tarde mostram pessoas mutiladas, esquartejadas, carbonizadas, estupradas, torturadas e massacradas, não seria de estranhar se realmente existissem os snuff movies.

Muito bem, se você agüentou ler até aqui, segure a onda mais um pouquinho e divirta-se com alguns filmes que foram considerados verdadeiros snuff, mas que tudo não passava de brincadeirinha (de mau gosto, diga-se):

Holocausto Canibal (Cannibal Holocaust)

Este é considerado por muitos o filme mais controverso, brutal e selvagem de toda a história do cinema. Realmente é um filme pra quem tem estômago e psicológico de aço. Trata-se de uma produção italiana de 1980, com direção do “Senhor canibal” Ruggero Deodato, com roteiro de Gianfranco Clerici.

Holocausto Canibal (Capa)

O filme relata os trabalhos de um grupo de documentaristas que viajam à Amazônia para realizar um documentário sobre as tribos indígenas locais. Passado um período, a equipe não retorna. Sendo assim, um antropólogo é enviado para o local pra saber o que ocorreu. Chegando lá, ele encontra as latas com os filmes que revelam o brutal desfecho do grupo. Não vou entrar em detalhes pra não estragar a surpresa, mas assistam se tiverem coragem! O negócio é o cúmulo da brutalidade desenfreada.

Na época do lançamento do filme, nosso querido Deodato passou por maus bocados, tudo porque acreditavam que os atores do filme haviam sido mortos de verdade.

Ele teve que se explicar às autoridades e mostrar todos os atores envolvidos na produção. Graças a Deus todos estavam muito bem de saúde! Tratava-se apenas de ficção. Este filme transformou Ruggero no mestre dos filmes de canibais.

August Underground’s Mordum

Produção americana de 2002, dirigida por Killjoy ( vocalista da banda de horror Death Metal Necrophagia) e Fred Voguel, relatando a ação de um grupo de delinqüentes que invadem a casa de um casal e lá cometem toda a sorte de atrocidades. Filmado de forma bastante amadora, provavelmente com handcams, torna o clima ainda mais brutal, fazendo com que realmente se pareça com um autêntico snuff movie.

august underground

Os efeitos visuais são tão realistas que quando eu assisti fiquei até preocupado, pois me senti como testemunha ocular de toda aquela barbárie. Assistam e corram pra saia da mamãe!

Guinea Pig – Flowers of Flesh and Blood

Este aqui é um caso a parte. Trata-se de um episódio de uma série de 7 filmes japoneses, lançados entre a década de 80 e 90. Relata a ação de um serial killer vestido de samurai, que captura uma mulher, levando-a a um galpão abandonado ou algo do tipo.

A mulher é amarrada a uma mesa e lá sofre as piores torturas que alguém possa imaginas. Sem entrar em muitos detalhes, o filme praticamente não tem diálogos.

Guinea Pig – Flowers of Flesh and Blood

É só violência da pior espécie. O máximo da degradação humana. Tortura, mutilação e esquartejamento pra aprendiz de serial killer nenhum botar defeito.

Um caso muito curioso ocorreu com este filme: o ator Charlie Sheen recebeu uma cópia do mesmo e assistiu. Após assistir, ficou tão horrorizado com o que viu que denunciou ao FBI.

Tudo era tão real que todos pensaram se tratar de um snuff. Concluída as investigações, tratava-se apenas de um filme realizado por um grupo de estudantes japoneses de efeitos especiais que estavam testando novas técnicas de maquiagem. Posso dizer que são os melhores do ramo, tamanha a perfeição e realismo dos ferimentos.

Bom, meus queridos. Creio que me estendi um pouco demais, mas é que o assunto rende muito “pano pra manga”. Espero que tenham se divertido e conhecido um pouco mais sobre este tão polêmico assunto.

Espero que realmente se trate apenas de uma lenda urbana, pois, caso contrário, pretendo mudar de planeta para poder criar meus filhos em segurança. Até a próxima, cambada!

Sobre Ricardo Costa

Casado, 42 anos, médico veterinário. É fã de música desde a adolescência, principalmente dos subgêneros mais extremos do Metal. É fã também incondicional de cinema, principalmente de horror e ação. Seu principal hobby é pesquisar e conhecer bandas novas e filmes obscuros. Trará sempre novidades acerca de lançamentos, bem como artigos, matérias e entrevistas muito interessantes para os nossos leitores

Veja Também!

a-chegada2

A Chegada: filme sobre aliens deixa lições para os humanos

É curioso que um dos sons mais agoniantes seja o do silêncio. Simon & Garfunkel já …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *