Os grandes artistas por trás das capas de discos

Como consumidor e fã de música que sou, sempre dei a devida atenção para o conjunto da obra, ou seja, admiro não só o disco em si e seu respectivo repertório, bem como toda a arte gráfica que envolve o pacote. Foi assim que conheci o rock, admirando aquelas capas maravilhosas das bandas dos anos 80 (Van Halen, Ozzy, Iron Maiden, WASP, Twisted Sister entre tantas outras). Acredito que a capa de um disco, assim como a embalagem de qualquer produto de qualquer gênero que consumimos, funciona como um cartão de visitas para o trabalho da banda. Obviamente, uma capa belíssima não é indicativo necessariamente de música de qualidade (já vi cada disco com capa legal que a música era uma bela porcaria), mas geralmente é por ela que somos apresentados a uma determinada banda.

            Depois de muitos anos ouvindo e colecionando discos, comecei a me interessar pelos criadores daquelas verdadeiras obras de arte. Quem teria talento de sobra para criar aquilo tudo, geralmente baseado no título do álbum. Gosto de observar os detalhes, as cores, enfim, tudo aquilo que aquela imagem pode significar. Hoje em dia temos verdadeiros gênios nesse setor. Artistas talentosíssimos, que criam verdadeiros universos paralelos em suas capas, e no universo da música extrema então, aí é que o bicho pega gostoso, pois os caras abusam do sangue, da violência, da guerra, do holocausto, tudo em prol da arte. Neste pequeno artigo vamos falar resumidamente de cinco artistas que são os responsáveis por algumas das mais belas capas de discos de todos os tempos. Preparados? Taca-lhe pau!

  1. Ed Repka

Pra mim ao menos, o melhor de todos. O americano Edward Repka é um artista dos mais requisitados do setor, tendo elaborado capas para gente do porte do Megadeth (ele é criador do mascote da banda, o Vic Rattlehead), Toxic Holocaust, Suicidal Angels, Hexen, e mais uma pancada de outras bandas. É conhecido por muitos como “o rei da arte Thrash Metal”, pois seus trabalhos, em sua grande maioria, são criados para bandas do gênero. Ed é dono de um estilo bastante peculiar, rico em detalhes e em cores vibrantes. Costuma retratar em suas obras um universo pós-apocalíptico, repleto de zumbis (que parecem ser uma especialidade do artista), aliens, paisagens devastadas, confrontos policiais, presidenciáveis nas mais diversas situações, enfim, um mundo de informações contidos em uma única ilustração. Esse cara é demais.

1990-Rust-In-Peace

2005 - Hell on Earth

folder (1)

maxresdefault

  1. Mike Hrubovcak

 

Esse é talvez o artista mais envolvido com o Death Metal em geral, pois além de criar as capas mais brutais e asquerosas que você vai ver em sua vida, ele também é músico, criador de websites, e tudo envolvido na área do “Metal da Morte”. Seus desenhos são tão minuciosos e tão detalhados que chegam a parecer cenas reais. Demônios, zumbis, assassinatos, decapitações, eviscerações, desmembramentos, e tudo mais de mórbido e sinistro que você pode imaginar, você encontra na arte do sujeito. As últimas capas do Sinister criadas por ele chegam a causar espasmos involuntários da musculatura abdominal. Já tive pesadelos com aquele cramunhão lá. Tá doido!

61eUdeIR5rL

91VAsk9+A4L._SL1500_

Pathology_-_Incisions_of_Perverse_Debauchery

xxx cd

  1. Dan Seagrave

 

Esse aqui é fera. Afinal, um cara que cria a arte de Left Hand Path (Entombed), Breeding the Spawn (Suffocation), Transcend the Rubicon (Benediction), Imperial Doom (Monstrosity), Altars of Madness (Morbid Angel), entre muitas outras, só pode ser chamado de fera mesmo. O inglês Dan Seagrave também é profundamente ligado ao Death Metal, sendo o profissional mais requisitado pelos grandes nomes do gênero, porém, ao contrário do estilo explícito de Hrubovcak, Dan prefere criar atmosferas macabras, paisagens insólitas, abismos e formações rochosas de aspectos peculiares, em um estilo bastante particular e inconfundível. Você bate o olho e já percebe o dedo do cara lá. Os grandes clássicos do Death Metal jamais seriam os mesmos sem a colaboração de Dan.

677

Front

monstrosity_-_imperial_doom_front

Morbid_Angel-Altars_of_Madness

  1. Vince Locke

 

Você conhece Cannibal Corpse? Então você conhece Vince Locke. O renomado artista americano praticamente criou todo o estilo das capas da banda, não só as doentias ilustrações, mas todo o conceito envolvido nas mesmas. Aqueles zumbis e criaturas presentes nos álbuns da banda são únicos, funcionando como algo conceitual até. Não dá pra imaginar Cannibal Corpse sem Vince Locke!

1525

Bloodthirst_cover

CannibalCorpseASkeletalDomain

Front (1)

  1. Andreas Marschall

 

Saímos daquele mundo de depravação e violência e vamos para o mundo da fantasia, dos elfos, magos, dragões e princesas. Estamos falando do alemão Andreas Marschall, provavelmente o artista mais conhecido deste segmento. Muito associado a bandas de Power Metal, Heavy Metal e Metal melódico em geral, o cara é especialista em criar um mundo muito próprio, baseado em grande parte na obra de J. R. Tolkien (O Senhor dos Anéis, O Hobbit). Ficou mundialmente conhecido por sua parceria de sucesso com o Blind Guardian, criando a grande maioria das artes de seus discos. Também é autor de ilustrações para o Hammerfall, In Flames, Kreator, e pela última do Obituary, Inked in Blood, que foge um pouco de seu estilo, pois investe no gore e na violência, mas mantendo intactas as características inerentes ao seu trabalho.

1000x1000

Blind-Guardian-Nightfall-in-Middle-Earth

thmini-Serveruy

12 Jacket (Gatefold - Two Pocket) [GD30OB2-N]

Contatos:

http://edrepka.daportfolio.com/

http://www.visualdarkness.com/

http://www.danseagrave.com/

http://vincelocke.com/

http://marschall-arts.com/Website/Willkommen.html

Sobre Ricardo Costa

Casado, 42 anos, médico veterinário. É fã de música desde a adolescência, principalmente dos subgêneros mais extremos do Metal. É fã também incondicional de cinema, principalmente de horror e ação. Seu principal hobby é pesquisar e conhecer bandas novas e filmes obscuros. Trará sempre novidades acerca de lançamentos, bem como artigos, matérias e entrevistas muito interessantes para os nossos leitores

Veja Também!

metallica

Metallica: revigorado e ainda relevante

Existem bandas que, ao anunciarem seus próximos lançamentos, promovem um verdadeiro fenômeno de histeria coletiva, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *