Os 25 melhores álbuns de 2014

Imagem 209

Mais um ano que se foi. Como todos os outros anteriores, fomos bombardeados por inúmeros lançamentos, tanto no cinema como na música, e nesse setor fomos muito bem representados, pois bandas dos mais diversos subgêneros dentro do Metal Extremo lançaram ótimos álbuns, dificultando demais o nosso trabalho. Tive que me desdobrar pra escolher “apenas” 25 álbuns. Após castigar muito os pobres ouvidos, eis que surgem os 25 mais de 2014. Sem mais delongas, vamos a eles:

 

  1. Obituary – Inked in Blood

a3445018481_10

 

Death Metal puro e simples, feito por quem nasceu pra isso. O Obituary nunca me decepcionou, e nesse novo álbum estão soando mais asquerosos que nunca. E que capa linda, Jesus amado! Simplesmente divino.

 2. Autopsy – Tourniquets, Hacksaws and Graves

autopsylp

O Autopsy já foi consagrado como uma das maiores referências em se tratando de Death Metal de raiz, e esse disco só veio pra comprovar mais uma vez que eles dominam essa arte como poucos. Taca-lhe pau na vitrola e seja feliz!

 3. Exodus – Blood In Blood Out

exodsbloodinart

Esse disco marca o retorno do vocalista mais Thrash Metal que já existiu, Steve “Zetro” Souza. Isso aqui é Thrash no seu estado mais puro. Banda afiadíssima, com Gary Holt simplesmente humilhando meio mundo com seus riffs animalescos. Ouça Blood in Blood Out, Salt the Wound (com solo fantástico de Kirk Hammet) e Food for the Worms e pode abaixar pra pegar sua cabeça no chão.

4. Cavalera Conspiracy – Pandemonium

cavalera conspiracy pandemonium

Max afirmou que estava cansado das misturas sonoras e resolveu dar um basta na viadagem, lançando seu álbum mais violento até hoje. Distorção no talo, bateria bate-estaca a um zilhão por hora, e um vocal assustador cheio de efeitos marcam esse trabalho. Nota-se considerável semelhança com o finado projeto Nailbomb, e como isso é bom! Já não agüentava mais aquele maldito berimbal!

5. Eyehategod – Eyehategod

Eyehategod-Eyehategod

 

Um retorno digno e merecido dos pais do Sludge após muitos anos de hibernação. E voltaram com sangue nos olhos, diga-se. Agitation! Propaganda! inicia o ritual ao contrário do que se esperaria deles, num hardcorezão veloz de esfolar o couro, tudo para demonstrar que estão mais vivos que nunca. Um dos melhores de sua invejável carreira.

 

6. Nausea – Condemned to the System

CD Booklet

Quando surgiram os boatos do retorno do Nausea com um novo trabalho na praça, confesso que quase tive um colapso cardiovascular, afinal, esse era um retorno dos mais esperados da história da música extrema. Uma banda que ajudou, junto com o Terrorizer, a redefinir o conceito de Grindcore. E a espera valeu, pois o negócio ficou caprichado demais! A síntese da extremidade se materializa em Freedom of Religion, Does God Need Help?, Cries of Pain, e em todos os outros oito sons que compõem essa belezinha. Oscar Garcia é rei e nunca perdeu a majestade!

7. Cretin – Stranger

a0670952458_10

 

Porções homogêneas de Death e Grindcore compõem esse belo trabalho, criando uma massa sonora devastadora. Banda em seu segundo full lenght e que conta com gente que entende do riscado, entre eles Marissa Martinez (ex- Repulsion), Col Jones (Repulsion) e Matt Widener (The County Medical Examiners, ex- Exhumed). Não tinha como dar errado.

8. Children of Technology – Future Decay

CHILDREN-OF-TECHNOLOGY-Future-Decay

 

Pense num Motörhead pós-apocalíptico querendo ser Discharge tocando na Cúpula do Trovão para uma platéia muito seleta. Essas são as “crianças da tecnologia”. Meu Deus do céu! Que banda maravilhosa! Nem vou perder meu tempo elogiando. Ouça agora e saia dando botinada por aí.

9. Ass to Mouth – Degenerate

Ass-to-Mouth-Degenerate-01

 

Uma banda com esse nome tão meigo não poderia decepcionar nunca. E realmente acertaram a mão nesse disco. Grindcore duríssimo, veloz e viciante, pra te deixar com cefaléia e náuseas por uns 15 dias. Magnífico.

10. Impaled Nazarene – Vigorous and Liberating Death

387915

 

Obviamente eles não entraram nessa pra louvar o Senhor Jesus, mas sim pra espinafrar o salvador com seu Black/Death/Hardcore/Punk do cramunhão. Treze pancadas certeiras, destacando-se King Reborn, Pathological Hunger for Violence e Martial Law. Os finlandeses que satisfazem.

11. Down – Down IV – Part II

Down - Down IV Part 2 -Front

 

Se tem um músico que sabe agradar seu público, esse é Phil Anselmo (embora ele tenha pisado no tomate com o Illegals). A frente do Down já há 20 anos lançando verdadeiras pérolas do Stoner/Doom Metal, Phil lançou esse ano o que é um de seus trabalhos mais consistentes. Só pela Conjure já vale a aquisição. Um peso que vi e ouvi poucas vezes na vida, tornando-se uma das músicas que mais ouvi nesse ano. Supimpa!

12. Besta – John Carpenter

bestajc2014

Banda de Grindcore lançando álbum conceitual não é lá muito comum. E quando a temática do álbum envolve a obra de um dos maiores cineastas do horror contemporâneo? Aí, meu amigo, é de chorar lágrimas de sangue e regurgitar as entranhas de tanta emoção. A mais bela homenagem com a melhor trilha sonora. A Cidade dos Malditos, O Carro Assassinoe as Aventuras de Jack Burton nas Garras do Mandarim te dizem alguma coisa? Lo Pan aprova!

 13.Cannibal Corpse – A Skeletal Domain

domain

 

Muitos julgam esse álbum um tanto “leve” para os padrões “bagaçeiristicos” do Cannibal Corpse, mas não é verdade. É certamente o trabalho mais bem composto e executado do quinteto americano, mas ainda assim funciona como uma verdadeira tijolada nas gônadas. O que ocorre é que o Cannibal atingiu um nível tão elevado entre as bandas do gênero, que eles podem se dar ao luxo de capricharem e inovarem dentro do estilo, porém sem descaracterizar um milímetro de sua personalidade. A maior banda do Death Metal atual em seu momento de inspiração máxima. Sadistic Embodiment é linda de morrer!

14. Iron Reagan – The Tyranny of Will

0003573961_10

 Tony Foresta (vocal / Municipal Waste) coloca todos os seus demônios pra fora nessa banda de nome tão legal. Pense num HC/Crossover daqueles de gastar o chão no mosh pit. São 25 rajadas animadas, onde aspectos políticos e sociais são abordados com o mais ácido dos humores. Miserable Failure, Eyeball Gore e I Won’t GO devem ser caóticas ao vivo.

15. Harmony Fault – Savage Horror Dementia

HxFx cover - OFICIAL

 

 Repulsion + Impetigo = Harmony Fault. Exatamente isso. Uma banda que busca nas origens do Death/Goregrind todas as características necessárias para criar uma música horrenda, pútrida e asquerosa (sim, isso foi um elogio). Os vocais de Calebe (também responsável pela bateria) e Guilherme (baixo) formam o duelo mais assustador que você provavelmente já ouviu nessa sua vidinha besta. E o instrumental forma a cama perfeita para isso acontecer, tornando esse álbum algo especial para o verdadeiro fã da nojeira explícita.

16. Expose Your Hate – Indoctrination of Hate

Expose Your Hate – Indocrination of Hate

 

 Eu já disse isso mais de uma vez e torno a repetir: o melhor Grindcore do mundo está aqui. Segundo álbum dessa banda de Natal (RN) que expressa toda sua indignação e insatisfação contra o sistema em forma de música brutal da melhor qualidade. Disco lindo, capa maravilhosa e produção soberba. Não precisa mais nada.

17. Sick of it All – Last Act of Defiance

Sick-Of-It-All-the-Last-Act-of-Defiance

 

 A banda mais representativa do Hardcore de NY está de volta com um puta registro raivoso. Alguns quilos a mais, alguns cabelos a menos, mas a pegada permanece forte e inabalada. D.N.C., Sound the Alarm,  Road Less Traveled, entre outras, são a voz das ruas representada em forma de boa música.

18. Korzus – Legion

Korzus - Legion (2014)

 Ninguém representa o Thrash Metal melhor do que o Korzus. Uma banda que nasceu, cresceu e permanece ainda hoje fazendo aquilo que muitos deveriam fazer, porém caíram pelo caminho e sucumbiram aos modismos. Em momento de máxima inspiração, o Korzus criou seu melhor álbum. Músicas como Vampiro, Lamb, Lifeline, Six Seconds e Purgatory conseguem a proeza de serem brutais ao extremo, mas ao mesmo tempo refinadas e cuidadosamente estruturadas, demonstrando que o grupo evolui a cada novo lançamento, sem deixar de lado jamais sua verdadeira identidade metálica. Um primor!

19. Jig-Ai –  Rising Sun Carnage

kkQjvOt

 

 Uma homenagem aos costumes e tradições orientais, com uma boa dose de bom humor e muito goregrind pra sacudir os miolos. Aliás, “jig-ai” é o nome que se dá a um famoso ritual de suicídio de mulheres. Esse é o terceiro full-lenght dos tchecos e o chicote estrala com fervor a cada uma das 22 faixas que compõem o petardo. Impressionante!

20. Lich King – Do-Over

Lich-King-Do-Over

 

 Quase que não dá tempo desse aqui entrar na lista, afinal saiu há poucos dias e já fez um grande estrago por aqui. Apesar de ser um ep, contando com um cover para Hot for Teacher do Van Halen (que ficou espetacular), algumas regravações, entre elas uma nova versão para Toxic Zombie Onslaught, e outras peculiaridades, o disquinho é de uma violência pujante, visceral e empolgante como poucos. A capa também é um achado, rendendo uma impagável homenagem ao estilo “crossovariano” do D.R.I. em Crossover. Lindíssimo!

21. Indian – From All Purity

 a2108818040_10

       Sludge/Doom dos bons a gente vê por aqui. O quarteto de Chicago aplica uma verdadeira machadada na fuça do ouvinte com From All Purity. Sonoridade densa, clima pesado e andamento hipnótico fazem desse disco algo brilhante. Adquira agora ou seja um emo para todo o sempre.

 22. Rings of Saturn – Lugal Ki Em

1413233657_1412659029_mx4d

 

 Existem bandas técnicas, extremamente técnicas, absurdamente técnicas e existe o Rings of Saturn. Sinceramente eu não sei aonde esses caras querem chegar ou de que planeta vieram, só sei que o que se ouve aqui excede todos os limites a que o ser humano pode ser submetido. Uma quebradeira sem fim, com riffs insanos, bateria alucinante e um vocal que parece que vai cair morto a qualquer momento. O Technical Death Metal jamais foi o mesmo depois desses garotos.

23. Sadhus – The Smoking Community

a0995651614_10

 

 A capa e o nome do disco entregam a “proposta” desse grupo. Se eles são chegados no charuto do capeta, isso é o que menos importa. Importa mesmo é o Sludge arrastadão e pesado pra valer que fazem tão bem. Primeiro disco dessa banda grega e que ainda vai dar muito o que falar.

24. Mastodon – Once More ‘Round the Sun

mastodon-cover

 

 É impossível definir que tipo de som o Mastodon faz hoje em dia, mas isso é irrelevante. O quarteto de Atlanta vem a cada disco lançado arrebanhando cada vez mais fãs com sua sonoridade única, pesada e vigorosa. Once More ‘Round the Sun pode ser considerado o álbum da virada na carreira da banda, pois é seu disco mais bem trabalhado e de certa forma mais comercial, embora explore tantas texturas musicais ao mesmo tempo que fica difícil de assimilar logo de cara. Independente disso, trata-se de algo único que somente músicos evoluídos podem criar. Uma das bandas mais originais de todos os tempos.

25. Coffinworm – IV.I.VIII

Coffinworm_cover

 

 Death Metal enriquecido com altas doses de Doom e Sludge, proporcionando um bem estar incomparável a quem o ouve. Digamos que esses sujeitos não são muito otimistas em relação a vida, pois saca só alguns títulos que figuram nessa obra: Instant Death Syndrome, Black Tears e A Death Sentence Called Life. Não são um exemplo de auto-ajuda, mas como alguns minutos de diversão despretensiosa funcionam que é uma beleza. Ignorante ao extremo.

       Muito bem, meus caros amigos. Essa foi a minha listinha de 2014. Obviamente, vários outros discos mereceriam estar aqui também, mas ficaria inviável uma lista dos “100 melhores” ou “200 melhores” (risos). Tive que ir cortando por ordem de importância até filtrar esses 25. Espero que tenham gostado, lembrando sempre que esta representa apenas minha opinião pessoal, não necessariamente a do site, ok? Também não me preocupei em separar as bandas nacionais das internacionais. Me baseei apenas no critério de qualidade e preferência, deixando tudo numa lista só.   Desejo a todos um ótimo e feliz Ano Novo, repleto de grandes e maravilhosas conquistas. Grande abraço a todos!

 

 

Sobre Ricardo Costa

Casado, 42 anos, médico veterinário. É fã de música desde a adolescência, principalmente dos subgêneros mais extremos do Metal. É fã também incondicional de cinema, principalmente de horror e ação. Seu principal hobby é pesquisar e conhecer bandas novas e filmes obscuros. Trará sempre novidades acerca de lançamentos, bem como artigos, matérias e entrevistas muito interessantes para os nossos leitores

Veja Também!

bomba

Vídeo: Show do Rammstein com “homem bomba” gera polêmica com muçulmanos

Participando do Rock in Vienna, na capital austríaca, a banda Rammstein utilizou sua famosa pirotecnia …

4 Comentários

  1. Mandou bem pra caralho Dr Ricardo.

  2. Valeu, meu amigo. Que bom que gostou! Deu trabalho, mas valeu cada minuto elaborar essa lista. Quem sabe rola uma de filmes em breve. Abraço..

  3. Boa lista. Faltou século sinistro do RDP

  4. gostei da lista mando meus cinco, ja que faltou um pouquinho de black metal 1 triptykon, 2 septicflesh, 3 accept, 4 vader, 5 mayhem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *