Obituary: de volta ao topo do Death Metal!

Após uma pausa de intermináveis cinco longos anos desde seu último disco, o excelente Darkest Day, mudanças de formação e até boatos de encerramento das atividades (particularmente, nesse eu nunca acreditei), eis que o mais aguardado retorno dos últimos tempos toma forma com Inked in Blood, novíssimo trabalho dos mestres do Death Metal americano Obituary. Nada de novidades aqui, apenas o melhor Death que a competência e a dedicação podem criar. Uma banda nobre que, apesar de todos os percalços, ainda luta pra se manter em evidência, e com este novo registro ainda demonstram que o fôlego ainda está longe de acabar.

            Confira agora a resenha exclusiva deste que tem grandes chances de ser o álbum da virada na carreira dos americanos. Qualidade pra isso ele tem com sobras.

Obituary – Inked in Blood (Relapse – importado/2014): resenha

A assustadora capa de "Inked in Blood"
A assustadora capa de “Inked in Blood”

            É lamentável que boa parte das bandas de Death Metal atuais estejam muito mais preocupadas em serem as mais velozes e brutais, abusando dos ‘blast beats’ insanos e andamentos a velocidade da luz, enquanto deixam escoar pelo ralo a verdadeira essência do estilo. Ainda bem que isso nunca ocorreu com o nosso estimado Obituary. Fazendo exatamente aquilo que domina muito bem há praticamente 30 anos (desde a época em que se chamava Executioner), a banda pode se orgulhar de ser um dos “sócios fundadores” do segmento e o maior representante da cena Death Metal da Flórida (aquela mesma que assolou o mundo da música pesada no início da década de 90).

            Sem a necessidade de exageros e sonoridades rebuscadas, o Obituary acaba de lançar Inked in Blood, seu nono álbum de estúdio, que veio para constatar o fato de que eles são, sem sombra de dúvida, os melhores nesse negócio, justamente por explorar o lado orgânico e visceral do Death Metal fundamentado nas raízes do gênero. A boa impressão já é observada na capa, com uma belíssima ilustração do renomado artista alemão Andreas Marschall (responsável pelas capas de inúmeras bandas conhecidas, entre elas Blind Guardian, Covenant e Hate Eternal). Seguramente, uma das artes mais brutais e impressionantes dos últimos tempos (veja acima), o que nos assegura que a audição não será muito diferente disto.

A atual formação do Obituary (esq. pra dir.): Donald Tardy (bateria), John Tardy (vocal), Trevor Perez (guitarra), Terry Butler (baixo) e Kenny Andrews (guitarra)
A atual formação do Obituary (esq. pra dir.): Donald Tardy (bateria), John Tardy (vocal), Trevor Perez (guitarra), Terry Butler (baixo) e Kenny Andrews (guitarra)

            O grupo ainda mantém boa parte de sua formação original com Donald Tardy (bateria), John Tardy (vocal) e Trevor Perez (guitarra), contando ainda com o xará do Geezer, Terry Butler (Death, Six Feet Under e Massacre), no baixo desde 2010 e Kenny Andrews na guitarra solo desde 2012, e com a entrada dos novos integrantes a banda ganhou muito em potência e peso. Isso é percebido logo nos primeiros acordes! Inked in Blood evidencia um Obituary em plena forma, em um dos momentos mais inspirados de sua carreira. As guitarras pastosas, abafadas e arrastadas de Trevor e Kenny são uma marca registrada do grupo. Ao ouvirmos apenas alguns segundos já conseguimos perceber do que se trata. Essa identidade é algo louvável, principalmente em bandas de Death Metal, o que os diferencia da maioria esmagadora das formações do gênero. Terry trouxe todo seu know how adquirido ao longo de sua brilhante carreira e empregou de forma magistral nesse registro, criando linhas de baixo bastante simples, mas muito efetivas e evidentes, deixando tudo ainda mais áspero que de costume; Donald não é um dos maiores adeptos dos blast beats, mas isso não é demérito algum, afinal, velocidade desenfreada não é sinônimo de qualidade. O cara toca de forma concisa e correta, criando batidas que vão desde levadas mais lentas (em sua grande maioria), até levadas mais rápidas, com uma pitada tribal (seria resquício do World Demise?), demonstrando muita versatilidade. Não é o mais virtuoso dos bateristas, mas é de uma criatividade a toda prova, agora, o que dizer de seu irmão mais velho? John é, indubitavelmente, o melhor e mais original vocalista de Death Metal de todos os tempos. Dono de uma voz única, que funde o gutural ao rasgado, sempre soltando aqueles urros característicos à sua performance, nesse disco demonstra total domínio da sua função. Uma voz dessa só pode ser conservada com o gargarejo do faquir, a base de vidro moído e arame farpado. Uma brutalidade que vem do fundo de uma alma atormentada, sendo assim, o grande destaque do trabalho.

            A produção, apesar de ótima, tratou de deixar a sonoridade propositalmente suja e encardida, com a marca Obituary de qualidade. Não tenho essa informação, mas a impressão que se tem é de que a banda gravou tudo junto, num take só, tamanha a naturalidade na qual a brutalidade é exposta ao ouvinte. É uma música melhor que a outra, sendo fortes candidatas a clássicos, mas as mais impressionantes são Centuries of Lies (curta e grossa como uma bordoada), a quase Doom Pain Inside, Visions in my Head, Violence (com um acento hardcore), a faixa título Inked in Blood (com seu andamento lento e mórbido), Minds of the World e Paralyzed With Fear.

Sorria com o Obituary!!
Sorria com o Obituary!!

            É o primeiro trabalho do Obituary a ser lançado pela Relapse, e posso assegurar que foi a melhor contratação que poderiam fazer. Esqueçam tudo o que já falei nos últimos tempos, pois após ouvir exaustivamente isso aqui, posso afirmar categoricamente: este é o disco do ano. Nada do que foi lançado ou que possa ser ainda lançado esse ano vai poder superá-los, mas aqui vai um conselho: somente os fãs mais tradicionais vão venerar, pois os adeptos de um Death mais moderno talvez achem a proposta simples demais. A obra definitiva dos pais do Death Metal! Simplesmente espetacular!

Nota: 10

Faixas:

  1. Centuries of Lies (02:08)
  2. Violent by Nature (04:33)
  3. Pain Inside (04:35)
  4. Visions in my Head (04:14)
  5. Back on Top (04:30)
  6. Violence (02:06)
  7. Inked in Blood (04:13)
  8. Deny You (04:48)
  9. Within a Dying Breed (05:36)
  10. Minds of the World (03:24)
  11. Out of Blood (03:19)
  12. Paralyzed With Fear (05:38)

Contatos:

https://www.facebook.com/ObituaryBand?fref=ts

http://www.obituary.cc/

Link para streaming do álbum:

http://loudwire.com/obituary-inked-in-blood-exclusive-album-stream/

Sobre Ricardo Costa

Casado, 42 anos, médico veterinário. É fã de música desde a adolescência, principalmente dos subgêneros mais extremos do Metal. É fã também incondicional de cinema, principalmente de horror e ação. Seu principal hobby é pesquisar e conhecer bandas novas e filmes obscuros. Trará sempre novidades acerca de lançamentos, bem como artigos, matérias e entrevistas muito interessantes para os nossos leitores

Veja Também!

bomba

Vídeo: Show do Rammstein com “homem bomba” gera polêmica com muçulmanos

Participando do Rock in Vienna, na capital austríaca, a banda Rammstein utilizou sua famosa pirotecnia …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *