Michael Jackson usava playback? saiba em quais músicas e turnês

Considerado um dos maiores cantores da história, Michael Jackson realizou três grandes turnês em sua carreira solo. Entre 1987 e 1997, foram diversos shows e uma audiência, em shows, superior a 12 milhões de pessoas. Tratando-se de apresentações performáticas, a exigência de movimentação era alta, fazendo com que em diversas ocasiões o playback fosse necessário, principalmente nas últimas turnês, em que Jackson tinha mais dificuldade em alcançar o tom original das canções.

Não é segredo para ninguém que Michael era extremamente perfeccionista, um fator que aumentou ainda mais a necessidade da utilização do playback. Com o tempo, os shows ficaram cada vez mais intensos, com coreografias maiores e que exigiam mais, ou seja, fazendo com que a dificuldade de conciliar canto e dança aumentasse.

Bad Tour (1987 – 1989)

Entre 1979 e 1984, Michael Jackson fez 3 turnês, porém ainda vinculado ao grupo The Jacksons. Em 1987, começou sua primeira grande turnê solo. A Bad Tour (em alusão ao seu sétimo álbum solo) foi um grande investimento comercial, tendo patrocínio da Pepsi e começando no Japão.

Foram 123 apresentações até 1989, com shows divididos entre Ásia, Austrália, Europa e América do Norte. Até então, praticamente todas as músicas (salvo raras exceções) era ao vivo. Nesta turnê, a situação foi um pouco diferente.

Michael Jackson 1987 bad tour

Em 1987, todas as músicas foram ao vivo, exigindo muito de Michael, que em 1988 e 1989, diminuiu um pouco o tom de algumas músicas e incluiu o playback em outras.

Bad Tour: Período 1988 (Europa) / 1989 (América do Norte)

Smooth Criminal: playback até a segunda parte da música. No último refrão passa a ser ao vivo.
Bad:  playback até a terceira parte da música. Na frase “You Know I’m Smooth” passa a ser ao vivo.
The Way You Make Me Feel: passa a ser ao vivo no trecho final, após a frase “Give it To Me”.
Man In The Mirror:  apenas o encerramento é ao vivo.

Um detalhe importante desta turnê, é que “Thriller”, uma das canções mais difíceis de executar ao vivo, segundo o próprio Michael, ainda era apresentada nesse formato. Em 1987, de forma mais próxima ao tom original.

Dangerous World Tour (1992 – 1993)

Michael Jackson já está consagrado como o maior artista do mundo nos anos 90. Com investimento maior e grande expectativa, a turnê trazia o oitavo álbum, Dangerous (1991). Novamente com apoio da Pepsi, este período foi um tanto quanto conturbado por problemas vocais de Jackson e acusações de conduta irregular com menores (no fim da tour).

O contexto de problemas de saúde e abalo psicológico, além do envelhecimento, fizeram com que o playback aparecesse mais. Um show mais pirotécnico, performático, porém menos “cantado”.

Playbacks:
Jam: inteira em playback.
Smooth Criminal: inteira em playback.
Thriller: inteira em playback.
Will You Be There: apenas a oração no final era executada ao vivo.
Bad: inteira em playback.
The Way You Make Me Feel: inteira em playback.
Dangerous: inteira em playback.
Black Or White: inteira em playback.
Heal The World: inteira em playback.
Man In The Mirror: apenas o final era ao vivo.
* Em alguns shows essas músicas eram ao vivo, enquanto outras também tiveram o uso de playback pontualmente. De maneira geral, o setlist seguia essas 10 canções com playback.

HIStory World Tour (1996 – 1997)

Essa é a maior turnê da carreira de Michael Jackson. Foram menos shows que a Bad Tour, porém o lucro e o público alcançado nos 82 shows colocam esses dois anos como marcos para a música. O lucro foi superior a US$ 230 milhões, sendo que o palco foi um dos maiores já montados.

Trata-se de um show mais “engessado”. Todos os movimentos coreografados, equipe gigantesca e muitos recursos tecnológicos. Michael dançando mais do que nunca e consequentemente, usando muito playback. Para quem é fã dos movimentos e do espetáculo, um momento único. Para quem gosta de música ao vivo, essa turnê acaba pecando um pouco em expressão ao vivo.

Playbacks:

De maneira geral, todas as músicas foram executadas em playback, com exceção de:

– Wanna Be Startin’ Somethin
– Jackson 5 Medley

* Em alguns shows, Michael testou músicas ao vivo, porém existem poucos registros. Em um dos shows de 1997, o playback falhou e a música Dangerous foi apresentada ao vivo. A gravação é de baixa qualidade, porém pode-se notar como Jackson fica ofegante ao fim da canção.

Sobre Leonardo Caprara

Idealizador e fundador do site, tem profunda paixão pela música e pelo cinema, desbravando os mais diferentes sub-gêneros dentro destes dois maravilhosos nichos e procurando levar o melhor conteúdo para os fiéis leitores do Música e Cinema!

Veja Também!

foto-yasmin-kalaf

EP da banda Vladvostock sairá pelos selos Banana Records e Cosmoplano Records

A banda paulista Vladvostock lançou no último dia 25 o single “Ânsia”, a faixa, que …

2 Comentários

  1. com playback ou sem playback ele era e sempre será o maior de todos!

  2. Pelo que eu sei na history tour o MJ fez playback praticamente a turnè toda, ele cantava só algumas coisas. Na época ele enfrentava um problema na garganta ( laringite o nome acho)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *