Lucy Rose lança álbum Something’s Changing e documentário

Acaba de ser lançado Something’s Changing, o novo álbum da cantora e compositora inglesa Lucy Rose. Saindo pela Communion Records, o álbum vem acompanhado do documentário  realizado  durante  a  turnê  de  Lucy  pela América  Latina  no ano passado.  A  viagem,  organizada  por  Lucy  com  ajuda  de  seus  fãs  latino-americanos,  se tornou  uma  grande  inspiração  para  o  novo  disco  e  virou  um  íntimo  relato da  experiência  da  artista  nesta jornada.

A  viagem  que  trouxe  Lucy  à  América  Latina  em 2016,  resultando  no  documentário  e   futuramente  a inspirando  a  compor  novas  músicas,  tem  uma  mágica  história  por  trás  de  sua   realização.  Ao  retornar  para casa  após  uma  intensa  turnê  pela  Europa,  promovendo  o  seu  segundo  álbum  Work   it  Out, Lucy  notou  uma imensa  quantidade  de   tweets  vindo  de  fãs  da  América  Latina  e  descobriu  que  a  cidade  que  mais  consumia sua  música  no   Spotify  era  a  Cidade  do  México.  Dessa  descoberta  nasceu  uma  ideia  que  aos  poucos,  foi  se concretizando  em uma  apaixonada  missão  para  a  artista e foi  desenvolvida  ao  longo  de seis  meses.

Lucy  propôs  aos  seus  fãs  latino-americanos um acordo: “Se vocês agendarem shows para mim eu irei até vocês”. Era uma ideia louca, mas o resultado se tornou algo muito maior  e  muito  mais  inspirador  do  que  se  poderia imaginar.

Por  dois  meses,  Lucy,  seu  violão  e  sua  mochila,  viajaram  por  Equador,  Peru,  Chile,  Argentina,   Paraguai, Uruguai,  Brasil  e  México,  fazendo  shows  gratuitos,  morando  na  casa  de  fãs  e  redescobrindo  a  paixão  de fazer  música.  O  documentário  que  registrou  a  experiência  da  artista  nesta  viagem  – onde  fãs  tomaram  a  rua pra   vê-la  tocar  numa  pequena  lavanderia;  onde  Lucy  dormiu  em  ônibus  entre  um  país  e  outro;  viveu  na   casa  de  famílias  em  pequenas  cidades  do  interior  e  sentiu  de  perto  a  paixão  que  as  pessoas  sentem   pela música – é  extremamente  emocionante.  Lucy,  com  uma  câmera  em  mãos,  registrou  tudo  o  que   conseguia durante  essa  intensa  viagem.

“Música,  na  verdade,  é  muito  mais  do  que  só  música  para  as  pessoas”,  diz  Lucy. “Muitos  dos  meus   amigos e  familiares  não  tem  tamanha  conexão  com  música  como  essas  pessoas  que  eu  conheci   durante  a  viagem  tem.  Pra  eles,  a  música  não  é  apenas  um  som  pra  ouvir  enquanto  se  faz  outra   coisa,  ela  realmente  toca  a  vida  dessas  pessoas  de  uma  forma  diferente”.

“O  documentário  é  grande  parte  deste  álbum  e  eu  acho  que  explica  o  quão  importante  essa  viagem   foi  pra  mim  e  o  quanto  ela  me  inspirou  a  fazer  este  disco.  A  viagem  me  deu  confiança  de  gravar  em   apenas  um  take  e  as  músicas  nasceram  mais  facilmente”.

Inspirada  pelo  fim  da  jornada,  Lucy  logo  começou  a  fazer  seu  terceiro  álbum.  Muitas  emoções  foram   envolvidas  neste  processo,  assim  como  muitas  pessoas.  Através  de  um  amigo  de  um  amigo,  Lucy   conheceu o produtor  Tim  Bidwell  e,  num  pequeno  estúdio  na  casa  dele  em  Brighton,  ela  encontrou   o  lugar  ideal  pra explorar  intimamente  suas  novas  composições.

Toda  semana,  Lucy  pegava  o  trem  de  Londres  para  Brighton.  Em  dezessete  dias,  o  disco  foi  gravado.   Grandes  contribuições  foram  feitas  pelo  baixista  Ben  Daniels,  amigo  e  parceiro  de  Tim,  assim  como   pelo  baterista  Chris  Boot  (que  em  breve  se  juntará  a  banda  de  Lucy  nos  shows),  por  Elena  Tonra  da   banda  Daughter, Marcus Hamblett da banda Bear’s Den e Emma Gatrill de The Atlas. Em duas músicas, Lucy conta com o backing vocal de The Staves (“Floral Dresses” e “Is This Called Home”).   E  em  todo  este  processo,  a  experiência  vivida  na  América  Latina  trouxe  mais  paixão  para  o  álbum.

“Depois  da  viagem,  as  músicas  vieram  mais  naturalmente  pra  mim,  por  estar  me  sentindo  tão  bem  e   ter  aprendido  tanto  sobre  mim  mesma.  Eu  nunca  me  senti  tão  confortável  na  minha  própria  pele   como  me  sinto  hoje.  Neste  disco há muita busca, mas também há muitas descobertas”.

Com  a  nova  parceria  com  Communion  Records  e  em turnê,  Lucy  Rose   está  mais  revitalizada  do  que  nunca.

Em maio, Lucy voltou a América Latina – Buenos Aires, Chile, São Paulo e Cidade do México – para apresentações e os fãs latino-americanos puderam assistir o documentário em primeira mão.

Em maio ela também se apresentou na Índia e a partir de julho a The  Worldwide  Cinema  Tour viaja pela Europa, Estados   Unidos  e  Ásia.

Seu  coração  e  sua  mochila  irão  ver  mais  muitos  aeroportos.  E se Something’s Changing cumprir com seus objetivos, Lucy irá finalmente ter o reconhecimento que merece como uma das melhores compositoras do Reino Unido e uma artista  que  acredita  fielmente  no  poder  da   música.

As próximas datas da Lucy Rose Live:  The  Worldwide  Cinema  Tour são:
13  de  Julho – Rio  Cinema,  Londres
14  de  Julho – Duke of York’s Picture House, Brighton
18  de  Julho – Tyneside  Cinema,  Newcastle
20  de  Julho – The  Poly  Cinema,  Falmouth
21  de  Julho – The  Arnolfini  Cinema,  Bristol
16  de  Setembro – Bandwagon  Live,  Manila,  Filipinas
18  de  Setembro – The  Projector,  Singapura
25  de  Setembro – Cine  XIII,  Paris
26  de  Setembro – Stadtgarten,  Colônia
28  de  Setembro – Silent  Green,  Berlim
29  de  Setembro – Alabama  Cinema,  Hamburgo

Confira as faixas de Something’s Changing:
Intro
Is  This  Called  Home
Strangest  Of  Ways
Floral  Dresses
Second   Chance
Love  Song
Soak  It  Up
Moirai
No  Good  At  All
Find Myself
I Can’t Change It All

Ouça o disco pelo Deezer, Spotfy e Itunes.

Informações: Catto Comunicação

Veja também! Filmes de terror na Netflix

Sobre Leonardo Caprara

Idealizador e fundador do site, tem profunda paixão pela música e pelo cinema, desbravando os mais diferentes sub-gêneros dentro destes dois maravilhosos nichos e procurando levar o melhor conteúdo para os fiéis leitores do Música e Cinema!

Veja Também!

O interessante Atlas e o seu pêndulo na verdade sobre o não dito

Você sabe quem é Atlas Bartholomeu? Se ainda não conhece essa figura, com certeza se interessará …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *