Cartas na Mesa: ótimo filme de pôquer

O melhor filme de pôquer da história é provavelmente o filme Cartas na Mesa de 1998, com atuações destacadas de Matt Damon e Edward Norton, direção de John Dahl, o filme mostra uma bela perspectiva da vida de jogatina norte americana.

Cartas na Mesa – ótimo filme do mundo do pôquer

Sinopse: Mike (Matt Damon) um talentoso jogador de cartas que perdeu o dinheiro que pagaria seus estudos no jogo. Decide afastar-se das mesas de jogo e arranjar um emprego de verdade. Mas um amigo (Edward Norton) sai da prisão, necessitando de dinheiro, e ele volta jogatina, tentando uma cartada final contra o oponente que levou seu dinheiro.

Filme Cartas na Mesa

Um belo filme para se assistir, sobre um verdadeiro esporte, mesmo que alguns não considerem, o pôquer é sim um esporte. Em minha experiência pessoal como jogador de pôquer aprendi muito sobre estratégia, blefe e algumas outras coisas necessárias para a vida e que podem ajudar muito você, além de ajudar na concentração, memória e matemática, deve ser jogado com cuidado, pois pode se tornar um vício.

Carreira de Matt Damon:

Nasceu em 1970, conhecido como grande ator e roteirista, ganhando destaque com Gênio Indomável, que fez com Bem Affleck, roteiro que foi surgindo enquanto estudava em Harvard, este filme ganhou muitas indicações ao Oscar.

Depois passou por filmes como O resgate do soldado Ryan, O talentoso Ripley, Onze homens e um segredo e chegando a A Identidade Bourne, onde interpretou Jason Bourne.

Mais recentemente fez os sucessos O Desinformante e Invictus, alem de Bravura Indomita, no qual fez LeBoeuf.

 

Sobre Leonardo Caprara

Idealizador e fundador do site, tem profunda paixão pela música e pelo cinema, desbravando os mais diferentes sub-gêneros dentro destes dois maravilhosos nichos e procurando levar o melhor conteúdo para os fiéis leitores do Música e Cinema!

Veja Também!

a-chegada2

A Chegada: filme sobre aliens deixa lições para os humanos

É curioso que um dos sons mais agoniantes seja o do silêncio. Simon & Garfunkel já …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *